Dieta Nova: A busca pela alimentação correta e a vida saudável

{$inline_image}

Bom dia, meninas,

Tudo bem?

Comecei uma dieta nova semana passada e estava ansiosa para compartilhar tudo com vocês. Para quem não leu o post sobre minha primeira experiência com nutricionista, leiam, vai ajudar a compreender o porque do meu medo em relação à ganho de massa e minha resistência em encontrar um profissional com quem eu me identificasse.

Nos últimos anos da minha vida, me interessei muito por alimentação e vida saudável, passei a conhecer meu corpo e adotei esse lifestyle. Não tinha objetivos específicos, queria ser saudável e manter meu corpo magro, com isso, mudei meus hábitos. No entanto, é FUNDAMENTAL o acompanhamento de profissionais qualificados para nos orientar, independente dos nossos objetivos.

Mesmo comendo muito saudável, eu tinha consciência de que alguns detalhes, mudanças estratégicas, poderiam fazer bastante diferença, não só no corpo mas na minha vida. O objetivo não era emagrecer, pelo contrario, eu sentia que para a intensidade dos meus treinos, comia pouco e em horários errados. Mas sabe o ditado “Faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço?” Pois bem, mesmo sabendo que eu estava perdendo gordura e ao mesmo tempo todo o meu músculo junto, eu continuava comendo pouco para a intensidade dos treinos e sobretudo, para meu objetivo.

Quando conheci a Yana, já bateu o santo, tivemos empatia e me senti segura para iniciar um planejamento voltado para o ganho de massa magra, sem ganho de gordura, pois estou feliz magra Rs.

Com a dieta nova, pretendo ganhar 2kg de massa muscular, visando saúde e também para dar simetria ao meu corpo.  Meu biótipo é magro, mas preciso de músculo. Todos nos precisamos! Quando digo músculo, não estou falando em ficar grande, gostosona, nada disso, até porque com a estrutura do meu corpo, sabe quando eu serei assim? NUNCA!!

Enfim, como a Yana mesmo disse, o objetivo inicial é organizar a casa. Eu já me alimento corretamente, agora é uma questão de ajustar horários, conciliar a alimentação com os treinos, perder o medo de comer certos alimentos e romper o paradigma de que quanto mais aeróbico eu fizer, melhor.

Eu tinha pânico de comer de 3 em 3 horas pois me gerava ansiedade e achava que era excesso de comida. Com 1 semana seguindo a dieta nova, vejo como é fundamental para o meu metabolismo (bastante acelerado), seguir essa prática. Por isso a importância do acompanhamento de profissionais da área. Dieta é individualizada, varia de acordo com seu metabolismo, rotina de treino, hábitos, genética, predisposição entre outros fatores.

Vou mostrar, resumidamente, como ficou a dieta, até porque minha nutri passou 5 tipos, que variam de acordo com horários de treinos, fim de semana e day OFF.

Em jejum tomo ½ limão espremido com 5 gotas de própolis para alcalinizar o PH do sangue e fortalecimento do sistema imunológico.

Pré treino tenho a opção do shake com ½ dose de whey, banana e frutas vermelhas ou café com óleo de coco, opção para os dias de treino de superiores e/ou quando vou treinar logo na sequência, pois não fico “empapuçada.”

Imediatamente após o treino, tomo ½ dose de whey isolada com água de coco (PROTEINA + CARBOIDRATO). Normalmente eu só comia 1 ou 2 horas após o treino. Como visamos ganho de massa, e o whey é fonte de proteína de rápida absorção, consumi-lo até 30 minutos após o treino é um momento oportuno para a formação e recuperação do músculo.

Café da manhã (1 horas após o treino), são 2 ovos + fruta com 2 colheres de cerais sem açúcar. Café preto está liberado, 3 a 4 xícaras por dia, sem adoçar hein!!

Para o almoço e jantar, continuam praticamente iguais, bem low carb, com 120g a 150g proteína magra (prefiro peixes e carnes brancas), legumes e verduras à vontade + gorduras boas, como azeite ou abacate. No jantar estou dando preferência aos legumes verdes.

Lanche intermediário 1 é sempre uma fonte de gordura, que pode ser de 20g de nuts (amêndoas, castanhas, macadâmia), 20g de chips de coco ou ½ avocado.

Lanche intermediário 2 (até as 18 horas – último carboidrato do dia). Pode ser panqueca proteica de banana, crepioca, muffins de abóbora, torradas sem glúten com avocado, iogurte (Yorgus ou Moo) com cereais sem açúcar, barrinha de proteína (gosto da Quest ou B ON). Como já falei antes, não devemos ficar engessados a um pedaço de papel. O legal é compreender a dieta e os alimentos sugeridos, para tornar as adaptações /substituições mais factíveis e sem neurose.


Recomendação de MUITA ÁGUA, meninas. É chato, mas não podemos esquecer de sempre ter uma garrafinha na mão. Sobre a suplementação: além do Whey no pré e pós treino, na ceia tomo ½ dose de Whey + 5g de glutamina + 5g de colágeno + lactobacilos manipulados, excelente para regularizar o intestino.

A dieta não ficou muito diferente do que eu já comia, estou amando. Como quero avaliar a reação do meu corpo com essas mudanças (principalmente pré, pós treino e lanches intermediários, os quais eu não costumava fazer), me desafiei ficar 1 mês sem beber. Não por extremismo ou noia, amo tomar um vinhozinho e equilíbrio é o segredo para manter uma vida saudável, mas querendo ou não, o álcool interfere nos resultados. Depois farei um post contando sobre os #30diassemalcool.

Não me importo com balança e almejo bem-estar além de estética. Aprendi a me aceitar. Já odiei perna fina, ombro largo e hoje me aceito do jeitinho que eu sou. Sempre podemos melhorar, como estou buscando agora, mas se aceitar é o primeiro passo para ser saudável.

Gostaram? Estou muito animada. Tenho postado bastante no stories e insta sobre minha rotina. Ao longo deste mês vou contando os resultados e as mudanças que venho notando no meu corpo e as reações com relação a fome, ansiedade e disposição.

Super beijo e qualquer dúvida, podem me enviar mensagens!!

Beijos,

Gi Saback!

 

@giselasaback

O post Dieta Nova: A busca pela alimentação correta e a vida saudável apareceu primeiro em Lala Rudge e Maria Rudge.



Fonte: Lala Rudge

Comentários

comentários